Noz-moscada

Muitas pessoas me perguntam para que serve a noz-moscada, como utilizar, se ela é mesmo alucinógena e quantas calorias têm. São muitas as dúvidas, por isso escolhi esta especiaria para ser o primeiro tema deste site.

A noz-moscada chegou ao Brasil por Cristóvão Colombo e outros navegantes, atualmente é cultivada no sul da Bahia. Esta especiaria é obtida do fruto da moscadeira e podemos encontrar na forma de amêndoa seca inteira ou moída que são as formas que a ANVISA permite a comercialização.

Cerca de 30 a 55% da noz-moscada é constituída de óleo, sendo estes a miristicina e a elemicina conhecidos como óleos essências que tem a capacidade de eliminar radicais livres, famosos antioxidantes. Em poucas palavras, os radicais livres são produzidos em nosso organismo através de processos metabólicos e a produção excessiva pode levar a diferentes tipos de lesão celular, causando várias doenças como câncer, enfisema, cirrose, arteriosclerose e artrites. O nosso organismo é protegido contra os dados dos radicais livres, mas esse mecanismo de proteção com o tempo se torna ineficaz devido a fatores como, por exemplo, a idade e essas lesões causadas pelos radicais livres podem ser prevenidas ou reduzidas por meio dos antioxidantes presentes nos alimentos.

Desta forma, os óleos da noz-moscada são utilizados pela indústria farmacêutica para preparar medicamentos para tratar infecções respiratórias e problemas digestivos, a noz-moscada também atua aliviando a náusea, o vômito e diarréia crônica. Nesta especiaria podemos encontrar minerais como, cálcio, fósforo, potássio, magnésio, cobre e manganês. A cada 100g de noz-moscada temos o equivalente a 525Kcal.

Podemos utilizá-la em preparações doces e salgadas como, por exemplo, no preparo de carnes, legumes refolgados, bolos, biscoitos e até salpicar um pouco sobre a fruta.

É claro que como todo alimento em altas quantidades a noz-moscada causar intoxicação, distúrbios no aparelho digestivo e alucinação. O segredo é utilizar com moderação, desta forma conseguirá obter todos os benéficos para o seu organismo.

Referências

1 – Zancanaro RD. Pimentas: Tipos, utilização na culinária e funções no organismo [monografia]. Brasília: Universidade de Brasília; 2008.

2- Rodrigues LTS. Atividade Antimicrobiana de Óleos Essenciais Sobre Clostridium Botulinum Inoculado em Mortadelas [dissertação]. Lavras: Universidade Federal de Lavras – UFLA; 2014.

3 – Teixeira GF, Buffon JG, Baisch ALM, Furlong EB. Conteúdo de Miristicina em Preparados de Noz Moscada (Myristica fragans, Houtt). Rev Inst Adolfo Lutz. 2008; 67(1): 39-45.

4 – http://www.anvisa.gov.br/anvisalegis/resol/12_78_condimentos.htm

5 – Shami NJIE, Moreira EAM. Licopeno como agente antioxidante. Rev. Nutr. 2004; 17(2):227-236.

6 – Secretária da Educação, Gerência de Alimentação e Nutrição Escolar. Apostila de Capacitação de Merendeiras [apostila]. Goiás.

7- Souza VAB, Carvalho MG, Santos KS, Ferreira CS. Características Físicas de Frutos e Amêndoas e Características Químico-Nutricionais de Amêndoas de Acessos de Sapucaia. Rev. Bras. Frutic. 2008; 30(4): 946-952.

fernanda
  • fernanda
× Agende sua consulta